Michelada

Michelada
compartilhe =)

Michelada, taí uma bebida que eu realmente não me importava muito. Apesar de ser o novo ‘black’ dos hypsters e gastrônomos de SP, confesso que as vezes que provei não consegui me apaixonar.  Às vezes achava salgada de mais, às vezes apenas algo exquisito mesmo.

Mas daí, resolvi fazer para um evento e consegui chegar num acordo. Esta é uma humilde versão que cheguei ao fim, ( espero que a Lourdes Hernandez não fique chateada comigo, rs), mas consegui balancear os sabores e acho que ficou bem interessante. Nessa versão não vai suco de tomate, o que acho que  uma grande diferença para mim, que com o suco parecia um blood mary de ressaca.

Então, compre sua cerveja mexicana, or not.
Esprema dois limões num copo,
Separe o molho inglês, o tabasco ‘smoked’ e, pasmem,  caldo maggi liquido.

ARGH, pensei também, mas não é que equilbrou? Até uma moça super vegetariana tomou e aprovou.

Com um tanto de sal num pratinho e limão no outro, faça uma coroa de sal nos copos que for servir.

Acrescente duas ou três pedras de gelo e: 3 gotonas de molho inglês, duas de tabasco smoked e 2 pequenas de caldo maggi. Coloque agora duas colheres rasas de suco de limão e  complete com a cerveja.

Tá gostoso? Liga pros vizinhos e já coloque o carvão na churras, que hoje é sexta!

imagem de www.spoonstosporks.com
imagem de www.spoonstosporks.com
compartilhe =)

Related Posts

Barriga de Porco na Pressão com cerveja Ale

Barriga de Porco na Pressão com cerveja Ale

Vício, luxúria, gula, tentação?  Não saberia dizer quais desses sentimentos ou pecados ou seja lá que nome se dá a isso. O fato é que estou viciada, mesmo, em barriga de porco. Depois daquela primeira tímida barriga, tantas outras já passaram pelo meu garfo e […]

Sangria de Pobre

Sangria de Pobre

Sangria de Pobre Mas com sabor de Ryca. Com determinado esforço acordei domingo desejando que estivesse com muita chuva e vendaval, mas qual não foi a surpresa ao olhar pela janela e ver uma fresta de azul pegando em cheio na minha ressaquinha. Dúvida cruel. […]



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *